30 de jan de 2008

O Dom de Línguas.

DONS HOJE? LÍNGUAS
Entre os pentecostais o dom de línguas é visto com uma importância sobremaneira especial; e em sentido contrário a todos, inclusive, em relação à Bíblia, estão os tradicionais, para estes tudo não passa de um espírito de engano, os mais "roxos" afirmam que é manifestação demoníaca mesmo! Mesmo assim, com tamanhas diferenças quando se encontram a hipocrisia se delicia, e se tratam como irmãos e saúdam-se com a "paz do Senhor". Este assunto - a hipocrisia religiosa - veremos em outra oportunidade. O dom de línguas é uma verdade vinda dos céus e derramada sobre alguns servos, não como sinal de batismo, mas da grande Graça de Deus Pai para com seus filhos. Vejamos alguns pontos importantes:

A) Necessário ser Santo-- 2 Co 7.1
Esta é uma condição imposta àqueles que querem viver na presença do Senhor. Precisam serem santos. Santidade é uma condição de vida. E se desconsiderada é certo que o homem não está em comunhão com Deus. Ser santo é viver sem pecados, puros! E todos que vivem assim, são aptos a receberem do Senhor os dons reservados, não especificamente línguas. Muitos andam enganados vivem no pecado (Gl 5.16-26) e mesmo assim são profetas, falam em línguas etc. Não se deixe enganar, é preciso ser santo para ser usado por Deus.

B) Línguas-- Sinal da graça de Deus--At 10.44 e 19.6
Vê-se a manifestação da Graça de Deus na vida do homem de diversas formas e quando o vemos derramando-se diante do trono em línguas é maravilhoso e muito agradável ao nosso Mestre. Pois esta é a forma mais pura de louvá-Lo, fala-se através do Espírito ao Senhor. É o mover do Espírito, na vida do homem de forma poderosa.

C) Línguas--Não tão importante--1 Co 12.4-11 e 1 Co 14
Paulo, afirma em sua carta ao povo de Corinto, que não havia alguém que falava mais em língua do que ele. Todo este conhecimento e comunhão com o Espírito o capacita a doutrinar a igreja, ensinando-a a corretamente usar esta benção ( 1 Co 14 ) Ensina também, que este dom é para edificação pessoal (1 Co 14.4). E numa relação dos dons mais "importantes", Línguas encontra-se entre os menores.

D) Línguas--Não é sinal de Batismo--At 2.1-13 , 1 Co 14 e 1 Co 12.4-11
Há um grande erro entre os evangélicos pentecostais; determinar que o falar em línguas é o sinal do batismo no Espírito Santo.
Os textos usados não são suficientes para esta afirmação, inclusive o de Atos 2.8-11 relatando o pentecoste; vemos que os apóstolos falaram diversos idiomas, estavam reunidos ali, muitos estrangeiros e todos escutaram em suas próprias línguas (idiomas); a ponto de ficarem espantados com o fato.
É sábio considerar, portanto, que no Pentecoste, as línguas faladas não foram as chamadas línguas dos anjos ou estranhas.
Mas, a necessidade de comprovar-se o Batismo no Espírito Santo, com a manifestação em "línguas estranhas", exigidas pelas diversas igrejas pentecostais, tem levado muitos a forjarem esta situação. Como o falar em Línguas é um dom, apenas alguns o receberão. Mas, as instituições religiosas, taxaram como obrigação a exteriorização deste dom, como sinal do Batismo. Geralmente as "línguas estranhas" que ouvimos são iguais, sempre as mesmas expressões, decorá-las torna-se relativamente fácil, e muitos têm partido para o extremo de auto-batizar-se no Espírito. Forma-se assim um batalhão de gente fazendo barulho na carne, ferido os princípios Bíblicos.
E ainda, se alguém possui a vida fora dos princípios divinos, e é praticante das obras, chamadas frutos da carne, veja a relação em: Gl 5.19-21 e Cl 3.5-6, com certeza, os dons manifestado por tais indivíduos procedem de um espírito de engano, do próprio diabo.
Não esqueçam jamais, o Senhor não usa vasos quebrados ou imundos!
É necessário viver em santidade, para ser instrumento do Senhor.

E) Línguas--Na igreja com ordem--1 Co 14.27-33
Aparentemente, a Bíblia de muitos pastores e membros das mais diversas igrejas, funcionam mais como "amuleto" do que como palavra do Senhor. Pois, as Palavras de vida não são observadas e praticadas em diversos aspectos. Hoje, especificamente no que se refere às línguas.
Todos os ensinamentos que dispomos a respeito dos dons, procedem do Apóstolo Paulo e em relação ao dom de línguas, ele escreveu detalhadamente como devem proceder os abençoados que foram escolhidos pelo Eterno para recebe-lo. Mas, nota-se que estes ensinamentos não são observados, o que prevalecem sãos os ensinamentos dos homens e as tradições da igreja.
E quando deveria haver ordem no culto em relação ao uso deste e outros dons, princípios definidos pelo Apóstolo, contemplamos o inverso, uma desordem total, um caos, são gritos e palavras estranhas que formam um barulho louco, levando os vizinhos de templos a cultivarem ódio pelos chamados "crentes".

Será assim o mover do Espírito Santo?
Porque não observa-se a Bíblia e seus ensinamentos para as mas mais diversas ocasiões?
Estamos vivendo nos dias finais, tempos nos quais o Espírito Santo está sendo derramado de uma forma jamais vista na humanidade, é preciso que estejamos puros, santos e retos para sermos instrumentos do Deus vivo.
É bom estarmos cientes, que as doutrinas das igreja são deliberadas por homens, e em diversas situações adequadas às vontades de seus líderes. Mas, o verdadeiro servo, o homem cheio do Espírito Santo, deixa-se levar pelo mover real e procura observar as determinações de Deus para o bom andamento da igreja.
Falar línguas não faz o homem santo como muitos pensam. Viver a Vontade de Deus, esta sim, faz o homem ser Santo.
Eu, creio e aceito os dons sem exceções. Inclusive, a igreja à qual sou membro, e totalmente direcionada pelo Espírito de Deus. E literalmente a direção desta igreja está nas mãos do Espírito Santo, que através de seus profetas (usados em profecias, visão, sonhos, etc.) determina a forma do agir.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá Pessoal todos estão autorizados a deixar o seu comentário do conteúdo deste Projeto e assim que puder estarei lendo e se possível respondendo.
Fiquem com Deus!