21 de abr de 2008

Deus Procura Homens Que...

SEJAM VALOROSOS, COMO GIDEÃO

Então, o Anjo do SENHOR veio e assentou-se debaixo do carvalho que está em Ofra, que pertencia a Joás, abiezrita; e Gideão, seu filho, estava malhando o trigo no lagar, para o salvar dos midianitas. - Então, o Anjo do SENHOR lhe apareceu e lhe disse: O SENHOR é contigo, varão valoroso.

Juízes 6. 11 e 12

Certamente, o “SENHOR” (v. 14), e o “anjo do SENHOR”(v. 12), são a mesma pessoa neste caso aqui. Os teólogos chamam essa forma de manifestação divina, de “teofania”, i.e., uma manifestação de Deus em forma física.

Todos que, como Gideão, procuram com toda dedicação servir a Deus, terão a presença atuante, dinâmica, de Deus com eles. Aos crentes do Novo Tesstamento, o próprio Senhor Jesus fez esta promessa (Mt. 28. 19, 20).


SEJAM HUMILDES, COMO MOISÉS

Vá, pois, agora; eu o envio ao faraó para tirar do Egito o meu povo, os israelitas. - Moisés, porém, respondeu a Deus: “Quem sou eu para apresentar-me ao faraó e tirar os israelitas do Egito?” - Deus afirmou: “Eu estarei com você. Esta é a prova de que sou eu quem o envia: quando você tirar o meu povo do Egito, vocês prestarão culto a Deus neste monte”.

Êxodo 3. 10 a 12

Moisés não era apenas Moisés; ele era o Moisés em quem Deus estava cumprindo o Seu propósito. Esse é um segredo universal de homens verdadeiramente grandes. Eles são capacitados mediante a presença e o poder divino. O projeto era de Deus, e não de Moisés. Moisés seria apenas um instrumento. Naturalmente, suas habilidades naturais e seu conhecimento seriam usados no plano. Ele não seria apenas uma marionete. (ati)


ANDEM SEGUNDO O CORAÇÃO DE DEUS, COMO DAVI

“...O SENHOR não vê como o homem: o homem vê a aparência, mas o SENHOR vê o coração”. - ...Então o SENHOR disse a Samuel: “É este! Levante-se e unja-o”. - Samuel apanhou o chifre cheio de óleo e o ungiu na presença de seus irmãos, e, a partir daquele dia, o Espírito do SENHOR apoderou-se de Davi. E Samuel voltou para Ramá.

I Samuel 16. 7b, 12b e 13

“...o Senhor vê o coração...” O homem vê a aparência de uma pessoa ou coisa, e assim faz julgamentos precipitados. Mas Deus vê a realidade do homem ou coisa, e faz um juízo verdadeiro. É freqüentemente verdadeiro que as aparências enganam. Os homens são facilmente enganados e atos tolos ocorrem por causa de decepções.

“...levante-se e unja-o....” Já em tenra idade, Davi cultivava um coração voltado para Deus como seu pastor espiritual (ver Sl. 23). O fiel coração de Davi diante de Deus (v.7) foi a razão da sua escolha, por Deus, para ser o próximo rei de Israel.

“...o Espírito do Senhor apoderou-se de Davi...” 1) – Multiplicou-se a capacidade de Davi (17. 33-37); 2) – Aumentou-se-lhe a inteligência e a perspicácia (18. 5; ver 17. 34-36 e 49-50).

“O efeito da descida do Espírito do Senhor sobre Davi foi que o jovem pastor cresceu para tornar-se um herói, um estadista, um erudito, um sábio, um rei de profunda visão” (Ellicott, in loc.).


PREGUEM E SOFRAM PELO NOME DE JESUS, COMO PAULO

Mas o Senhor disse a Ananias: “Vá! Este homem é meu instrumento escolhido para levar o meu nome perante os gentios e seus reis, e perante o povo de Israel. - Mostrarei a ele o quanto deve sofrer pelo meu nome”. - Então Ananias foi, entrou na casa, pôs as mãos sobre Saulo e disse: “Irmão Saulo, o Senhor Jesus, que lhe apareceu no caminho por onde você vinha, enviou-me para que você volte a ver e seja cheio do Espírito Santo”.

Atos 9. 15 a 17

“...instrumento escolhido...” “Um vaso escolhido, selecionado. O genitivo de qualidade é muito comum no idioma hebraico, como também no grego “koiné” vernáculo. O Senhor Jesus escolheu a Saulo, antes deste ter escolhido ao Senhor Jesus. E o próprio Paulo, já apóstolo, sentia ser um vaso de barro (ver II Cor. 4. 7), indigno de encerrar tão grande tesouro.

“...sofrer pelo meu nome...” A conversão de Paulo incluiu não somente uma ordem para pregar o evangelho, mas também uma chamada para sofrer por amor a Cristo. Paulo foi informado desde o início que ele sofreria muito pela causa de Cristo. No reino de Cristo, sofrer por amor a Ele é um sinal do mais alto favor de Deus (14. 22; Mt. 5. 11, 12; Rm. 8. 17; II Tm. 2. 3). A morte precisa atuar no crente para que a vida de Deus flua dele para os outros (Rm. 8. 17, 18, 36, 37; II Co. 4. 10-12).

“...cheio do Espírito Santo...” Três dias depois da sua conversão, Paulo recebeu a plenitude do Espírito Santo. A experiência de Paulo forma um paralelo com a dos discípulos no dia de Pentecoste. Primeiro, a sua experiência do novo nascimento; a salvação (ver vv. 3-19 nota; depois ser “cheio do Espírito Santo” (v. 17).


SEJAM OBEDIENTES, COMO ABRAÃO

Pela fé, ofereceu Abraão a Isaque, quando foi provado, sim, aquele que recebera as promessas ofereceu o seu unigênito. - Sendo-lhe dito: Em Isaque será chamada a tua descendência, considerou que Deus era poderoso para até dos mortos o ressuscitar.

Hebreus 11. 17 e 18

A fé e a obediência são inseparáveis entre si, assim como também são inseparáveis a incredulidade e a desobediência.
A obediência de Abraão certamente sacrificaria todo o seu bem-estar. Não fora Deus a fazer a intervenção, o plano teria sido executado. A literatura judaica alude a esse acontecimento como o último e mais severo dos dez testes apresentados a Abraão. (Ver Pirke Aboth 5:4). A fé foi o fator que levou à vitória, nos nove primeiros testes, menos severos; e também foi o fator para obtenção da vitória no teste mais severo de todos; a fé conferiu a Abraão seu melhor momento de obediência.

TENHAM FÉ, COMO NOÉ

Pela fé Noé, quando avisado a respeito de coisas que ainda não se viam, movido por santo temor, construiu uma arca para salvar sua família. Por meio da fé ele condenou o mundo e tornou-se herdeiro da justiça que é segundo a fé.

Hebreus 11. 7

A fé impulsiona diferentes pessoas para diferentes coisas. Noé construiu uma arca e escapou a um horrendo julgamento. A fé nos impelirá a fazer algo que será o cumprimento da vontade de Deus a nosso respeito. Pois nossas missões, que são ímpares para cada um de nós, exigem uma expressão ímpar de fé. Além disso, as responsabilidades individuais, e os diferentes deveres do dia a dia, exigem uma manifestação especial de fé.

O Novo Testamento também declara que Noé não somente era justo, como também pregador da justiça (2 Pe. 2.5). Nisso, ele é exemplo do que os pregadores devem ser.

SEJAM ÍNTEGROS, COMO JÓ

Havia um homem na terra de Uz, cujo nome era Jó; e este era homem sincero, reto e temente a Deus; e desviava-se do mal. Jó 1.1.

Nunca darei razão a vocês! Minha integridade não negarei jamais, até a morte. - Manterei minha retidão, e nunca a deixarei; enquanto eu viver, a minha consciência não me repreenderá.

Jó 27. 5 e 6.

1– O temor de Deus e o desviar-se do mal são o fundamento da vida irrepreensível e da retidão de Jó (cf. Pv. 1. 7). “Sincero” refere-se a integridade moral de Jó e à sua sincera dedicação a Deus; “reto” denota retidão nas palavras, nos pensamentos e atos. (2) – Esta declaração da retidão de Jó é reafirmada pelo próprio Deus no versículo 1.8 e em 2.3 onde, claramente, se vê que Deus, pela sua graça, pode redimir os seres humanos caídos, e torná-los genuinamente bons, retos e vitoriosos sobre o pecado.

11 de abr de 2008

Hello Kitty, a encantadora gatinha de um bilhão de dólares, é produto de pacto com o demônio?

Hello Kitty, a gatinha fofinha, é uma personagem muito popular em todo o mundo. Ao pesquisar o termo "hello kitty", o Google retorna 21 milhões de resultados. O site youtube.com retorna 380 vídeos.
Crianças e adultos, celebridades, artistas, modelos e atrizes a adoram.
Mas afinal de contas, quem é essa adorável criatura cujo criador é vítima da acusação de que teria realizado pactos sinistros com o diabo do Belzebu?

Começando do começo: a biografia de Hello Kitty.

Como toda celebridade que se preza, a gatinha tem biografias: a oficial e as não autorizadas. É verdade que as biografias não autorizadas não trazem nenhuma novidade, nenhuma crise existencial nem vícios inconfessáveis, pois a Kitty é pura como... como .... como um cristal puro.

Visitando alguns dos 670 mil resultados obtidos na pesquisa aos termos biography "hello kitty" no Google ficamos sabendo:

Nome verdadeiro: Kitty White.
Pais: George e Mary White.
Data de nascimento: 01 de novembro de 1974.
Local de nascimento: há controvérsias. Uns afirmam que ela nasceu em Londres e outros dizem que ela nasceu em Tóquio. V. Answers.com.
Onde reside: Londres.
Peso: igual ao de três maçãs.

Membros da família:
Mimmy, a irmã Mimmy (apesar da semelhança, não dá para confundir com a Hello, pois cada uma usa o lacinho de um lado da cabeça.)
George, o pai George
Mary, a mãe Mary
Anthony, o avô Anthony
Margaret, a avó Margaret

No mundo real, a gatinha é o bem sucedido resultado do trabalho da designer Ikuko Shimizu para a empresa Sanrio, sediada em Tóquio, Japão. Os primeiros itens foram lançados no mercado em 01 de novembro de 1974. Um anos depois, Ikuko Shimizu deixou a empresa e foi substituída por Setsuko Yonekuboe.
Desde 1980 a responsabilidade pelo design desse sucesso comercial é Yuko Yamaguchi.
Além de lápis, papel, artigos de cama e mesa e objetos de decoração a griffe Hello Kitty também produziu motocicletas e 21 exemplares de anel de brilhante cujo preço estimado é de 3.800.000 ienes. Não se espante com a cifra: são apenas cerca trinta mil dólares.
Essas informações são uma tentativa de descobrir as razões que motivaram o/a autor/a da mensagem a criar essa mirabolante história demoníaca.

A mensagem possui cinco aspectos a considerar.

1. a possibilidade de se realizar pactos com entidades satânicas ou demoníacas com a finalidade de obter vantagens nesta vida;

2. a imprecisão das informações fornecidas;

3. a associação de produto de consumo com seita que busca criar simbolos "bonitinhos" para agradar a todos;

4. a mistura de palavras de diferentes idiomas;

5. o imaginário popular e os animais tenebrosos.

Isso de fazer pactos com demônios já foi comentado em A cruz do capeta da Honda Titan 150. Apesar de ser um assunto abordado há séculos, até hoje não houve nenhuma comprovação de tal associação. Certamente, há pessoas interessadas em trocar a alma pelo sucesso pessoal, de preferência a alma dos outros. (V. o [ambíguo] filme O bebê de Rosemary.)

É verdade que os fundamentalistas, os que levam ao pé da letra os textos sagrados, asseguram que é possível a pactuação com entidades malignas, pois está escrito. E foi escrito por quem sabe das coisas. Trata-se de um fato não comprovável, evidentemente, e é uma questão de fé.

Nada a discutir no nível racional.

Como qualquer lenda ou pulha virtual que se preza, essa daí também possui informações imprecisas e os dados são incompletos. Nada que se possa utilizar para confirmar a história narrada, nem mesmo um ou outro aspecto mais plausível como a existência de uma garota com câncer na boca e a sua mãe aflita: nome das pessoas, hospital ou clínicas, cidades... nenhuma informação.

O Terceiro ponto é a menção à Nova Era [...] uma seita q vai contra todos os princípios de Deus.

A Nova Era (New Age) engloba o conhecimento de anjos, espiritismo, cristianismo, astrologia, pseudociências e tal grupamento é bem representado pelo seu logotipo mais conhecido:

A presença de uma bonequinha ao lado de tal símbolo fica bastante deslocada. Nada a ver uma coisa com a outra.

Quanto ao fato de a seita atentar contra todos os princípios de Deus isso fica por conta de quem fez a análise comparativa dos princípios de Deus e dos princípios da Nova Era.

Ao analisar com um pouco de atenção o texto da mensagem, percebe-se a improbabilidade de o/a autor/a da mensagem ter se dado a esse trabalho.

Uma pergunta sem resposta: o que há de errado em criar simbolos "bonitinhos" para agradar a todos?

Em qual dicionário o/a autor/a da mensagem foi buscar a informação que Hello, em ingles quer dizer olá [...] Kitty, é de origem chinesa e quer dizer Demônio? Trata-se de mistura insensata.

O mais interessante de tudo é analisar o desamor pela gatinha tomando como referencial os medos do ser humano em relação a alguns animais reais ou fictícios. Só para citar alguns: lobos (lobisomem, licantropos), dragões, serpentes, corujas, sereias... e gatos.

Vale a pena ler o texto intitulado "Are cats for true Christians?"

Tradução livre: os gatos servem como animais de estimação para verdadeiros cristãos? (Incrível como de cinco palavras passamos para dez. Só pode ser coisa do demo :)

Gatos na casa de cristãos?
O autor diz que não e descreve as razões a serem consideradas para banir o felis cattus domesticus L. do convívio dos humanos. Se não de todos os humanos, pelo menos dos verdadeiros cristãos, dos fundamentalistas, criacionistas.
A Bíblia, diz o autor, mostra sem sombra de dúvida que a natureza básica dos gatos, muito embora criaturas perfeitas de Deus, transformou-se em diabólica desde a queda de Adão seis mil anos atrás. Ou desde o dilúvio, cerca de 2.350 anos antes de Cristo. O autor não parece muito seguro das datas, mas garante a natureza diabólica do aparentemente inofensivo felis cattus.
Estudos recentes sobre os gatos, continua ele, embora não muito confiáveis, pois são baseados na desacreditada "teoria" da evolução, associam os felinos às serpentes. Tal aproximação existe, apesar de algumas diferenças nas respectivas fisiologia e morfologia o que confunde aqueles que não estudaram profundamente o assunto.
É isso: no reino animalia, da serpente para o gato é apenas um pulo. (Péssima)
O autor não apresenta referências aos estudos que comprovariam as tais semelhanças entre um felídeo e uma serpente, entre mamíferos e répteis. Além disso, para comprovar a sua tese, ele faz referência a estudos que ele mesmo considera não confiáveis.
O gato é, muitas vezes, associado às bruxas e feiticeiras.
A história da Inquisição, a Sagrada Congregação do Santo Ofício de Roma ou Tribunal do Santo Ofício (Congregatio romanae et universalis Inquisitionis) registra casos de punição de feiticeiras e bruxas.
Bastava ser mulher, ter um gato de estimação e, melhor ainda, não ter sido beneficiada pela natureza com as graças da beleza para ter o caminho aberto até a fogueira. (V. O MARTELO DAS BRUXAS.)

Quanto à ausência de boca no rosto da gatinha, a Sanrio explica: ela fala pela coração e assim pode ser entendida por qualquer pessoa. E também: o fato de não ter boca, permite à sua proprietária imaginar o seu, da gata, estado de espírito.
Em todos os lugares do mundo encontram-se imagens ou figuras, genericamente denominadas amuletos ou talismãs. São objetos ou imagens aos quais se atribuem poderes mágicos, objetos cujo uso pode trazer boa sorte ou afastar coisa ruim. São as figas, os cristais, as ferraduras, as corujas, o trevo de quatro folhas, a mão de fátima, o martelo de Thor.
No Japão, existe o maneki neko ou Manekineko, talismã de grande semelhança com a Hello Kitty. A diferença principal entre eles é que o maneki neko é um gato macho. Ele traz fortuna, boa sorte, felicidade, saúde e várias outras coisas desejáveis.
Não dispomos de informações sobre a origem dessa história da Hello Kitty satânica, como ela se
formou e qual o objetivo de quem a criou. As primeiras mensagens, recebemos em julho de 2006, mas alguns blogs já faziam referência a ela em setembro de 2005.
É mais uma fantasia sem pé nem cabeça fruto de um espírito, não vamos dizer maligno, mas certamente com desígnios não muito bem definidos.

Meninas Superpoderosas ou Supertenebrosas?

Em pleno século XI ninguém poderia imaginar que haveria tanta investida satânica contra a igreja do Senhor Jesus, haja visto seu avanço progressivo em massa mundialmente. Mesmo que os grandes avivamentos estejam acontecendo ao redor do globo, temos que ter sã consciência que Jesus está voltando, havia visto que sua promessa não pode falhar; e como Sátanas sabe deste fato em que breve será lançado no lago de fogo e enxofre, ele também tem mostrado seus avivamentos diabólicos para o mundo. Bem sabemos que esta artimanha do inimigo tem um único intuito, o de distanciar as pessoas de Deus impedindo-as de chegarem a salvação. Todavia há uma promessa e uma esperança que nos faz jubilar, a saber "Pois também eu te digo tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela(Mt-16.18)" , Cristo já nos outorgou a vitória a quase 2000 anos, e agora é a hora da igreja triunfar vencendo o inimigo e desmascarando suas farças, e tirando sua máscara!

Para tirarmos a máscara do inimigo é preciso estar em comunhão com Deus e assim ele pode revelar o que esse arquiinimigo está planejando contra nós. A palavra revelar do latim é " revelare" que significa tirar o véu; tirar aquilo que estava encoberto , sendo assim o Espírito Santo tirou o véu e vem por meio desta alertar-nos sobre os desenhos atuais que de certa forma estão trazendo satânismo, bruxaria, imoralidade, rebeldia. Você já percebeu que nenhuma emissora de televisão transmite um desenho evangélico, ou seja, em que os personagens leêm a Bíblia, oram e jejuam, ou vão ao templo para adorar a Deus. Já ficou a observar quantos desenhos surgem e por causa deles nossas crianças se rebelam, ou como nossos filhos mudam de comprtamento rapidamente.

Sem redundância quero apresentar-lhes uma desenho que tem sido um fenômeno entre as crianças e principalmente entre as meninas. Seu nome é "Meninas Superpoderosas" a história dessas garotinhas parece fantástica e até sem muita malícia, até quando observamos melhor do ponto de vista espiritual e descobrimos sua sútil malignidade. Essas três garotas foram criadas por um cientista chamado Professor, que segundo dizem; misturou açúcar, condimentos e tudo de bom na fórmula, será mesmo verdade?. Alguns dizem que elas são meninas amáveis, simples e até normais, que freqüentam a escola e brincam como toda criança de sua idade. Mas toda vez que algum vilão ameaçador entra em ação e põe em risco a paz da cidade de Towsville, o prefeito entra em contato com elas que prontamente saem voando para cumprir o dever: Combater o mal!.

Veja abaixo seus principais personagens:

Nome original: Bubbles. ( Lindinha)

Idade: 5 anos.

Ingrediente predominante: açúcar.

Super poder: falar com esquilos e voa.

Aparência: cabelos loiros com duas maria-chiquinhas, olhos e vestido azuis.

Posição: A nenêzinha das Meninas Super Poderosas

Personalidade: tem medo do escuro, é muito mais sensível e às vezes é bem chorona. É doce, inocente e meiga mas também é corajosa e muito observadora. De vez em quando apanha da irmã Docinho, que é meio mal-humorada. Não consegue dormir sem seu bichinho de pelúcia um polvo.

Hobbies: gosta de colorir com lápis de cera e de voar. Gosta de flores e borboletas, de bichinhos e de sorvete com bolo.

Note que lindinha tem medo do escuro e a palavra diz: "Porque Deus não nos deu o espírito de temor, mas de fortaleza, e de amor, e de moderação( 1Tm-1.7) "; agora o que as crianças pensarão quando virem que lindinha apanha de sua irmã mal-humorada e que não dorme sem seu bichinho de pelúcia, que dependência mais estranha, Jesus disse: ...mas sem mim nada podeis fazer" ; sem Jesus não podemos dormir, ter coragem e descansar .



Nome original: Buttercup. (Docinho)

Idade: 5 anos.

Ingrediente predominante: condimentos (pimenta).

Super poder: tem visão de raio-X e voa.

Aparência: cabelos pretos, vestido e olhos verdes.

Posição: A durona das Meninas Super Poderosas.

Personalidade: é a mais durona e que gosta de lutar. É brava e pode ser um pouco rude às vezes, principalmente com sua irmã, Lindinha. É agressiva mas por dentro é um docinho.

Hobbies: gosta de tocar contrabaixo, jogar futebol e video games, assistir filmes de terror e lutar com monstros e criminosos.

Docinho é agressiva, assiste filme de terror e luta com monstros, já sabemos que monstros não existem e sim demônios, crianças tem costumes de vivenciarem e imitarem personagens, não queremos Ter filhos agressivos visto que está escrito que devemos ser moderados e devemos amar, bem como nossos filhos não poderão ver filmes de terror ou de demônios, queremos ver nossos pequeninos com a promessa do alto "...os vossos filhos e vossas filhas profetizarão, os vossos mancebos terão visões(Jl-2.28)" Aleluia!



Nome original: Blossom. (Florzinha)

Idade: 5 anos.

Ingrediente que predomina: tudo de bom.

Super poder: assopra ar congelante e voa.

Aparência: cabelos ruivos com um enorme laço vermelho no alto da cabeça.

Posição: irmã mais velha e líder das Meninas Super Poderosas.

Personalidade: inteligente e esperta, é a mais sensata do grupo e gosta de organizar as coisas. É brava, (mas muito justa), ás vezes é um pouco egoísta (mas gentil na maioria das vezes) e muito confiante em si mesma.

Hobbies: gosta da escola, de estudar matemática e ciências, de ir a festas na praia, piqueniques, cinema e museus.

Florzinha é brava " A responda branda desvia a braveza( Pv-15.1a )"; é egoísta enquanto a palavra diz: Lança o teu pão sobre as águas( Ec-11.1 a ) ou seja anuncie a palavra e reparta esse alimento; além disso lindinha é auto-confiante, " Maldito o homem que confia em si mesmo( Jr-17.5 a )".


Nome original: Mojo JoJo( macaco louco)

Criador: Professor

Constituição: Fórmula X (a mesma usada nas Menina Superpoderosas) e inteligência. Mas ele se voltou contra o Professor que se sentiu muito sozinho e criou as Meninas.

Aparência: Seria um macaco comum se não tivesse um capacete transparente para cobrir seu cérebro enorme e sua maldade nata.

Personalidade: Mau por natureza, tem como objetivo acabar com as Meninas Superpoderosas.

Experiência: uma vez transformou Townsville num enorme queijo suíço e todos os seus habitantes em cachorros. Em outra ocasião enviou um robô para destruir a festinha de aniversário das Meninas Superpoderosas. Nem precisa dizer que elas ficaram muito bravas!!!!

Macaco Louco ou um pouco de teoria da evolução misturada ao desenho?


FuzzyConfusão

Meio possessivo com suas coisas, explode em raiva quando alguém usa seus objetos ou esnoba suas propriedades. Apareceu no primeiro espisódio das meninas.


TrioAmeba

Bem que eles tentam, mas não conseguem fazer uma coisa errada. Seu principal objetivo é fazer com que as meninas fiquem bravas com suas travessuras. Sonho que talvez nunca se realize.


Ele(diabo)

É a criatura mais perversa do mundo. Quer destruir as meninas para poder espalhar sua maldade sem obstáculos.

Olhe quem aparece aqui o próprio Sátanas, e bem sabemos que ele veio com grande fúria para destruir os moradores da terra, álias ele é que " anda bramando como leão e buscando a quem possa tragar(1Pe-5.8)".


GangueGranguena

São os vilões mais irritantes que existem em Townsville. Sujos, ruins, cínicos, perversos e, por cima de tudo, desajeitados. A única coisa que eles gostam é de fazer maldades com as pessoas que encontram pela frente.


Princesa

Ela veio de uma família de muito dinheiro, por isso acha que pode ter tudo o que quer. Menos superpoderes, é claro! Mas quando percebeu que as Meninas Superpoderosas eram populares por causa de seus poderes, ela quis fazer parte do grupo, mas as meninas não deixaram porque ela é muito metida. Então a Princesa pediu dinheiro para seu pai para comprar coisas que pudessem destruitr as Meninas Superpoderosas, mas nunca dá certo. Desde então ela se tornou uma das piores inimigas das meninas.



Os erros das meninas superpoderosas:

1) Defender o mundo.

a) Se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalham as que edificam; se o Senhor não guardar a cidade, em vão vigia a sentinela ( Sl-127.1 ).

b) Feliz é a nação cujo Deus é o Senhor ( Sl-33.12 ).

2) Meninas das paz.

a) Jesus disse: Deixo-vos a minha paz, a minha paz vos dou( Jo-14.27a ).

b) Tenho-vos dito isto para que em mim tenhais paz ( Jo-16.33a ).

3) São tratadas como deusas.

a) Moisés disse: Agora sei Senhor que tú és o maior dos deuses ( Ex-18.11 ).

b) Não terás outros deuses diante de mim( Ex-20.3 ).

c) De outros deuses não fareis menção ( Ex-23.13 ).

4) Combatem o mal.

a) Pois o Senhor, vosso Deus, é o que vai convosco, a pelejar contra os vossos inimigos, para salvar-vos( Dt-20.4 ).

b) O Senhor dos exércitos está conosco; o Deus de Jacó é o nosso refúgio( Sl-46.7,11 ).

Com isso podemos ver o quanto Meninas Superpoderosas parecem mais Meninas Superteneboras, pois tem deturpado a glória do Senhor. Cabe aqui alguns alertas aos pais e ao povo de Deus.

Da boca de pequeninos e crianças tu suscitaste força(Sl-8.2 a ), se Deus tem dado força as crianças chegou a hora delas serem usados por Ele em sua obra, se assim não ocorrer teremos o veredito "Até a criança se dará a conhecer pelas suas ações se a sua obra for pura e reta(Pv-20.11)".

Que Deus ilumine a todos e que Cristo Jesus nosso Senhor e salvador possa abençoar todos, assim diremos: Eu e a minha casa serviremos ao Senhor(Js-24.15 b)".

Desenhos da Disney estimulam sexo e violência.

Desenhos animados podem conter mensagens subliminares (mensagens subliminares são sugestões geralmente imperceptíveis ao consciente, que são embutidas em vidros ou músicas, e que pela repetição, acabam sendo aceitas de maneira inconsciente).
Depois que a notícia sobre a existência de imagens subliminares nos desenhos da Disney foram divulgadas pelo pregador brasileiro Josué Yrion, radicado nos EUA, inúmeros pesquisadores saíram à caça de mais evidências.
Infelizmente, para a Disney, a lista foi ampliada. São fatos e provas contundentes demais para ignorá-los. Até mesmo pessoas não-religiosas e, portanto, sem o mesmo interesse no assunto que o pregador, ficaram horrorizadas com aquilo que estava sendo mostrado a seus filhos em nome da alegria e do encantamento.

Veja o que se descobriu: no filme "Mogly", a serpente diz ao menino que olhe em seus olhos, porque levaria para o abismo, de onde jamais poderia sair; no filme "Robin Hood", o herói usa uma bola de cristal para chamar o príncipe das trevas e faz conjuros com os dedos das mãos, sinais reconhecidos como os mesmos utilizados pelos satanistas para invocar demônios; no filme "Hércules", o diabo sai do meio do abismo e diz que seu nome é Hades, o senhor da morte; a capa do vídeo "A pequena sereia" é apontada como pornografia infantil: colunas submersas têm forma de um membro sexual masculino. No filme, na cena do casamento, existem sinais de excitação sexual; no filme "Cinderela", o gato se chama Lúcifer; o significado indígena da palavra "Pokahontas" é "espírito invocado do abismo". A garota do filme vai a uma árvore e consulta o espírito de alguém que teria morrido há 400 anos.

Homossexuais e lésbicas

Em junho de 1996, 97 e 98, a Walt Disney World foi a anfitriã do 6.º, 7.º e 8.º Fia Anual de Gays e Lésbicas. Num desenho animado, os organizadores retrataram o Mickey e o Pato Donald como amantes homossexuais, e Minnie e Margarida como lésbicas. A companhia não fez nenhuma objeção publicamente. Os atores Ernie Sabella e Nathan Lane disseram que as personagens que
interpretam (Timão e Pumba) no filme "O Rei Leão" foram as primeiras personagens homossexuais da Disney a aparecer na tela.

A Disney contratou Devin Smith para produzir os filmes "Dogma", que ataca o cristianismo, dizendo que a crença cristã é pouco mais que mitologia, e "A procura de Amy", sobre um homem que diz ser amado por uma garota, até descobrir que ela é lésbica. Eu mesmo vi uma chamada para este filme na TV a cabo HBO no início de julho de 2000. Há um beijo na boca entre garota e sua namorada (já na própria chamada) que é de tirar o fôlego. De nós, não delas...

A Disney admitiu em janeiro que o até então inofensivo desenho animado "Bernardo e Bianca", produzido em 1997, contém imagens subliminares ao longo da fita. A cena acontece aos 28 minutos do filme: os dois ratinhos - engajados em ajudar uma menina a se livrar de seqüestradores - então viajando sobre um velho albatroz. À aterrissagem, o pássaro perde altura e passa em frente a vários prédios. Numa janela aparece a imagem pornográfica de uma mulher expondo o corpo. A Disney só admitiu o que chama de "imagens de fundo objetáveis" depois que elas apareceram na internet. A empresa informou que recolheu cerca de 3,4 milhões de fitas nos EUA.

A cena de nudez no desenho animado amplia suspeitas entre milhares de cristãos do mundo
inteiro a respeito da idoneidade moral da companhia. Nos EUA, por exemplo, a numerosa Convenção Batista do Sul, que agrega cerca de 15 milhões de cristãos, aprovou há dois anos um boicote a todos os filmes, produtos e centros de diversão da empresa.

Venenos da Rede Globo

"Pokémon" ("alguns demônios na mochila" - 'poke'=bolso; 'mon',abreviação de 'demon'. 'Pokemon'= demônios de bolso) pode ser uma novidade para os pequenos, mas uma tremenda dor de cabeça para os pais cristãos, todos instigados ao mal e à violência. O jornal Folha de S. Paulo, de 14/2/1999 traz a notícia de 685 crianças japonesas internadas após verem uma cena do monstrinho Pikachu na tevê. Naquela noite, centenas de adultos, ao verem a mesma cena no telejornal, também foram internadas com graves distúrbios.

Demônios? Obsessão? Paranóia? O que sei é que para um pai consciente isso basta. Claro, você dirá, isso é normal no mundo de hoje. Para mim não é.
Conheço crianças com sérias perturbações (os pais acham que são normais) porque passam as manhãs vendo esses desenhos, as quais vão se acostumando a imagens e a realidade de sexo, lesbianismo, violência e satanismo sem ainda poderem discernir entre realidade e fantasia. Só que não é fantasia, é realidade! E então acontece uma verdadeira lavagem cerebral. Matam já desde pequenos (basta ver quantos assassinatos há nos EUA praticados por crianças) sem saber o real porquê.

Outro exemplo. Não acham estranho o boneco Tinky Winky, dos Tele Tubbies, que é masculino, usar bolsa? Ah, disse a criadora australiana questionada pela "Time", "criança usa bolsa, saia, qualquer coisa, porque é inocente". E por que será que ele usa aquele triângulo, símbolo dos gays na cabeça?
Felizmente a revista "Time" considerou "O rei leão" como o mais sujo e perverso filme já produzido pela Disney. Há um leão efeminado, ensinos de bruxaria, consulta aos mortos e, quando Simbad bate as pernas em uma pedra e o pó se levanta, aparece a palavra sexo, em inglês, numa fração de segundo.

Venenos da Editora Abril

De fato, a Disney caminha à margem da humanidade. Por que será que o Tio Patinhas não tem esposa? Nem o Pato Donald? Nem o Mickey? Eles têm sobrinhos. Mas onde estão os pais dessas crianças ? A Lalá, a Lelé e a Lili são filhas de quem? E por que será que o Pateta nunca se casa com a Clarabela? E nem o Mickey com a Minnie? E a bondosa vovó Donalda casou com quem para ser avó? Por que ninguém tem esposa ou marido? Interessante, não? Nenhum valor dos personagens segue os valores da humanidade. O Patinhas é avarento, o Donald nervoso, o Pateta é atrapalhado, o Gastão sortudo, a Maga é feiticeira, o Gansolino preguiçoso, e assim por diante. Valores? Que valores? Pra piorar, a Disney retratou os brasileiros através de um personagem vadio, gozador, desempregado por opção e trambiqueiro: o Zé Carioca. Para a Disney, ele é protótipo do nosso povo.

O que estranho em toda essa história é: porque uma empresa como a Disney chegou a este ponto? Pôr uma imagem pornográfica num desenho de Bernardo e Bianca? Para quê? Nessa hora, não tem jeito, tenho de apelar para Jesus: "A boca fala daquilo que o coração está cheio", dizia Ele. "Sepulcros caiados", gritava contra os fariseus, "vocês são bonitos por fora, mas podres por dentro".
Será que os batistas, com seu boicote, não tem razão?

César Augusto Ribeiro
Especialista em Comunicação pelo Centro Nacional de Pesquisas Científicas de Lion (França), com cursos de extensão de TV na EuroVisão (Genebra, Suíça), de Rádio (Lausanne, Suíça) e Audiovisual (Roma). Publicitário, sócio da agência Marchand Propaganda, em Ponta Grossa (PR).

Tatuagens e Piercing.

O que diz a Bíblia sobre o uso de tatuagens?

... Podemos ver na Palavra de Deus pelos menos dois textos objetivos que tratam a respeito:
“Criou Deus, pois, o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou.” Gênesis 1:27.

Aqui vemos que o homem, coroa da criação de Deus, foi feito “a sua imagem e semelhança”. Assim, não precisa de complementos em seu corpo, pois já foi feito semelhante ao Ser mais perfeito do universo. Fazer algum tipo de marca que mude esta imagem e que traga dor naquilo que é considerado o “santuário do Espírito Santo” (ver I Coríntios 3:16-17, 6:19-20) é demonstrar que não está contente com sua imagem (semelhante a de Deus) e desrespeitar a Deus.

"Pelos mortos não ferireis a vossa carne; nem fareis marca nenhuma sobre vós. Eu sou o SENHOR." Levítico 19:28.
Sobre este texto assim se posiciona o Comentário Bíblico Adventista do 7o Dia, no vol. 1: “Provavelmente se refira a tatuagens (assim traduz a versão da Bíblia de Jerusalém - BJ), costume que em si não é imoral, porém certamente indigno do povo de Deus pois tende a danificar a imagem do Criador”.

Do mesmo modo que o apóstolo Paulo, as únicas marcas que deveríamos trazer em nós deveriam ser aquelas em favor de Cristo: "Quanto ao mais, ninguém me moleste; porque eu trago no corpo as marcas de Jesus." Gálatas 6:17.

Devem os Cristãos Dançar?

“Tudo depende do que queiramos ser ou fazer no mundo,” diz certo autor.
Se os jovens tiverem de decidir a questão por si mesmos, a primeira coisa que farão é perguntar que mal faz dançar e por que a igreja adverte contra ela. Porém antes de responder, seja-nos permitido, pelo que isto representa de força e encorajamento, verificar o que dizem sobre o assunto as outras denominações.

A igreja metodista diz: “A dança é prejudicial à vida cristã,” e alerta os seus membros contra ela.

Diz a igreja congregacional: “Resolvido, que na opinião da associação a prática da dança por parte dos membros de nossa igreja não condiz com a profissão religiosa, devendo ser tornada objeto de disciplina.”

A igreja presbiteriana: “Consideramos a prática de dança por parte dos membros da igreja como pasmosa incoerência, e o entregarem-se os chefes de família a tais reuniões dançantes, como tendente a comprometer sua profissão religiosa, e o enviarem os pais cristãos seus filhos a escolas de dança como grave erro na disciplina da família.”

Diz a igreja episcopal, na palavra do bispo A. C. Coxe: “A dança é lasciva.” Mais tarde o mesmo bispo advertiu os dançadores que “contem em não vir à mesa da comunhão.” O bispo Hopkins acrescenta: “A dança é responsável pela dissipação de tempo, a condescendência para com a vaidade pessoal e o incitamento prematuro das paixões, e artifício nenhum pode torná-la condizente com o pacto do batismo.”

A igreja católica romana (Concílio Pleno de Baltimore), diz: “Consideramos ser nosso dever advertir nosso povo contra os divertimentos que possam facilmente tornar-se para eles ocasião de pecado, contra as modalidades de danças que, como praticadas presentemente, repugnam a todo sentimento de delicadeza e decoro, e se fazem acompanhar dos maiores perigos para a moral.”

Não faremos mais citações, mas passamos a expor dez razões pelas quais a dança deve ser condenada. Essas razões são reunidas de muitas fontes que tratam do bem-estar físico, mental e espiritual. Esse número pode ser aumentado. Podeis dizer que são afirmações radicais e prevêem condições que nem sempre procedem. Concedemos que assim seja, mas há que admitir-se também que não há uma só dessas dez proposições que não seja com alarmante freqüência uma verdade.

1. A dança é um estimulo anormal às paixões sensuais. Tenho ouvido apenas dois homens negá-lo, ao passo que centenas têm-no admitido. É evidente que a dança significa uma coisa para os homens, e bem outra para as mulheres. Muitas jovens nobres e de espírito bem dotado amam a dança por sua graça e ritmo. Para estas a dança apela apenas ao senso artístico. Ela apela também aos homens da mesma maneira, mas no que respeita ao sexo masculino não é este o mais forte apelo. Os homens chegam à maturidade em matéria de sexo quando as mulheres nada sabem a respeito. Mas as jovens devem ter conhecimentos sobre o assunto, a fim de poderem sentir em plena força a responsabilidade que repousa sobre elas ao se permitirem na dança o amplexo de rapazes.

2. O estimulo sexual resultante da dança geralmente vem quando é ele mais perigoso. A dança leva milhares de estudantes de escolas superiores, desprotegidos e não preparados, a situações em que não deviam estar. No bom plano de Deus para nossa vida Ele determinou que as paixões sexuais despertem lentamente para que o juízo e a força de caráter sigam a par com elas. Quando verificamos quantas mentes bem dotadas e brilhantes têm sido capazes de dominar todas as forças, exceto os reclamos do sexo, começamos a ver a sabedoria do plano de Deus. O Dr. W. A. McKeever diz: “A nova dança social é uma dança de morte. Jovens adolescentes de quinze anos são forçados pela dança a um intenso desenvolvimento sexual, em vez de experimentarem o despertamento normal, lento, da noção sexual.” Se acrescentarmos a isto os efeitos sobre a mente, teremos chegado mais perto da plena medida de seu significado.

3. A dança mina a saúde pelo menos de duas maneiras. Primeira, quando indevida e prematuramente excita as inclinações do sexo. Segundo, quando conduz a uma atividade anormal pelo manter-se desperto as desoras, associado ao comer e beber indiscriminalmente. Não há atitude mental que tão poderosamente reaja sobre a vida física como o incitamento provocado pela dança. Freqüentemente tem início uma intoxicação em que o corpo é forçado a obedecer aos reclamos de um frenesi mental. Não é pouco comum verem-se moços e moças manterem inconscientemente a atitude como que de sonâmbulos e o balanceado físico da dança em todas as horas e lugares da experiência do dia. A atitude conveniente para a saúde física e mental foi abandonada.


4. A dança debilita a resistência moral. Para que julgueis uma coisa convenientemente, é mister que vejais os seus frutos. Oficiais cívicos e obreiros sociais têm pouco que tratar com a assim chamada “dança respeitável,” mas eles vêem o que salta a cova do basilisco. Jane Addams diz que 85 por cento das jovens caídas citam a dança como o início do seu declínio. O Prof. A. T. Faulkner, que antes de sua conversão era proprietário da Academia de Danças de Los Angeles, disse que de 200 mulheres abandonadas, com quem ele havia falado, 163 atribuíram sua condição a escolas de dança e seus resultados. Jovens nobres tolerarão esta prática?

5. A dança destrói na pessoa o gosto por coisas espirituais. A alma necessita, tanto quanto o corpo, de um clima para viver. Tenho em mente dois quadros contrastáveis. Lembro-me da primeira bananeira que vi em Nova Albany, Indiana. Um de meus paroquiais orgulhosamente mostrou-me em flor. Essa flor era a recompensa de anos de expensas e cultivo. Muitas pessoas vinham para vê-la, pois uma bananeira em flor em Indiana era um acontecimento.
Aqui está o outro lado do quadro. Em junho último, quando no Instituto de Florida, vi ruas de graciosas bananeiras vergadas ao peso de frutos que faziam que as bananas de Indiana parecessem uma simples singularidade. A diferença não estava na espécie, mas no clima. O gosto espiritual é excessivamente sensível. Ele necessita do clima tropical da graça de Deus e da pureza para que desenvolva. Não preciso dizer mais nada. A principal pergunta não é: “Tenho eu alguma espiritualidade?” mas: “Quão bela e abundante é minha espiritualidade?”

6. A dança contribui para o mal do divórcio. Isto ela faz por gerar desejos na vida que não se acomodam à rotina e requisitos morais de uma família bem sucedida, como também pelo criar e perpetuar o terrível trinômio de relação: cinema, novelas e pluralidade de lares. Um lar onde Cristo não está presente está firmado em bases demasiado débeis para que possa enfrentar todos os reclamos da vida familiar e qualquer tentativa para satisfazer esta falta mediante exteriotipações mentais e algumas vezes físicas com lesão da correção moral está fadada a fracasso. Um lar onde Cristo está presente, mas onde não tem todo o domínio, não pode sem prejuízo segregá-Lo de molde a permitir lastro a interesses que Ele não aprova.

7. A dança não dá lugar ao intelecto. Sua predominância é em grande parte devida ao fato de que ela não requer esforço mental para ser planeada. A dança é simplesmente o abandonar-se ao meio de menor resistência em entretenimento. As pessoas intelectuais dançam, está claro, mas não têm de usar sua inteligência para faze-lo. Qualquer pessoa pode ligar o rádio ou por em movimento o fonógrafo. O resto é automático. É pouco razoável apelar tanto para o físico, e não dar à mente e ao espírito uma oportunidade.

8. A dança é arruinadora da modéstia. Jeremias chegou ao máximo de sua condenação à degradação do povo quando declarou que eles não sabiam mais o que era envergonhar-se. Seria difícil imaginar-se coisa mais condenadora. Nós procuramos evitar a vergonha de embaraços por falta de traquejo social, e devemos faze-lo; mas sempre a mais virtuosa e nobre evidência de pureza é o rubor de ressentimento que vem à face de alguém que encontra a sugestão do mal e impureza. A jovem que assim procede pode ir a qualquer lugar com segurança, e ela é dominadora da situação. E o jovem que possui esta qualidade possui o que há de mais nobre e varonil.

9. Os dançadores são egoístas. Nem todos e nem sempre, mas freqüentemente. Eu conheço dois jovens, um casal de irmãos, de um fino lar cristão e educado. O jovem é comerciante próspero, decidiu não freqüentar colégio e gasta bom tempo e bom dinheiro numa vida fácil. Recentemente ele comprou um automóvel do último modelo. Começou a freqüentar bailes. As moças com quem ele dançava estavam acima de qualquer censura, e além do mais ele era o tipo do cavalheiro tanto antes como depois do baile. Parecia ser isto um tempo agradável fora do comum.
Uma tarde sua irmã falou à mãe sobre seu desejo de freqüentar os bailes num clube aonde seu irmão ia freqüentemente. O irmão ouviu o assunto por alto e imediatamente fez um protesto. De qualquer forma, a irmã disse que iria se o irmão fosse, e insistiu para que ele declarasse por que objetava. Finalmente ele declarou com relutância que havia amigos ali com quem ele não desejava que a irmã tomasse contato. Parece-me que tal posição é fundamentalmente egoísta. Que direito tem um rapaz de protestar contra o fato de sua irmã ir a um lugar aonde ele vai e onde convive com moças tão boas como sua irmã?
Isto ilustra apenas um aspecto do assunto. A verdade inteira é muito maior. Se é cristão e altruísta de nossa parte, mercê de nosso amor pelo bem estar do povo, declarar que nada faremos que ponha uma pedra de tropeço no caminho de outros, então deve ser exatamente o oposto quando sujeitamos outros a um grande risco ainda que pelo prazer de apenas uma noite.

10. A dança é o instrumento universal dos ímpios para ajudá-los na execução de toda espécie de ímpios desígnios. O íntimo contato da dança não leva necessariamente uma pessoa a fazer o mau uso dessa intimidade, mas o fato de ser este um dos melhores meios para levar outros ao extravio é significativo. Ele apresenta um fato que os jovens que procuram o ideal cristão devem considerar seriamente.
O fato de que quase universalmente os cristãos educados mantêm um sentimento de dúvida em relação à dança, parece indicar que sua sensibilidade cristã não lhes permite sancioná-la facilmente. Muitos costumavam pensar que a única restrição à dança era o regulamento da igreja, mas desde que a restrição foi removida, estamos vendo mais claramente que nunca, que a verdadeira restrição é a lei da vida.

Estas dez razões são suficientes para dar-nos elementos para pensar neste assunto. Em conclusão, permiti-nos deixar claro nosso propósito. Eu não disse que uma pessoa não pode ser respeitável e dançar: também não disse que os dançadores não possuem norma de correção moral. Sei que pessoas educadas, cultas, finas, dançam. Mas este não é bem o ponto. As pessoas podem ser respeitáveis, moralmente corretas, educadas, refinadas e membros cultos da igreja, e nem por isso serem cristãos no sentido do Novo Testamento. Um cristão é algo além de tudo isto, e é esse algo além que a dança ameaça mais terrivelmente.

Tudo depende do que se deseje ser ou fazer no mundo. Um machado pesado, grosseiro, é muito bom para cortar um grosso tronco, mas se eu quiser cortar um espécime botânico, em finíssimas camadas, terei de usar uma lâmina de barbear bem afiada. Assim é que a mais fina experiência e obras de uma vida cristã esperam pelo espírito que é qual lâmina aguda, e mantém imaculado do mundo. Não há possibilidade de possuir-se o mais alto tipo de gozo e eficácia cristãos sem sacrifício. E sacrifício, devemos lembrar, não é o abandono do mal. Isto é uma necessidade cristã clara e pertence ao senso comum; é o cumprimento de um dever. Sacrifício é deixar o bom para alcançar o melhor. Sacrifício é fazer uma escolha de alvos, e então aceitar a ordem da vida que a escolha do alvo impõe. Na minha opinião, “o mais alto padrão de experiência e o viver segundo o Novo Testamento” requerem o abandono da dança.


A Dança

“O verdadeiro cristão não desejará entrar em nenhum lugar de diversão nem se entregar a nenhum entretenimento sobre que não possa pedir a bênção divina. Não será encontrado no teatro, no jogo de bola, na sala de bilhar. Não se unirá aos alegres valsistas, nem contemporizará com nenhum outro enfeitiçante prazer que lhe venha banir a Cristo do espírito.
“Aos que intercedem por essas distrações, respondemos: Não podemos com elas condescender em nome de Jesus de Nazaré. A bênção de Deus não seria invocada sobre a hora passada no teatro ou na dança. Cristão algum desejaria encontrar a morte em tal lugar. Nenhum quereria ser encontrado aí, quando Cristo viesse.
“Quando chegarmos à derradeira hora, e nos acharmos face a face com o registo de nossa vida, acaso lamentaremos haver assistido a tão poucas festas? ter tão poucas vezes participado de cenas de inconsiderada alegria? Não haveremos antes de chorar amargamente o ter gasto tantas horas preciosas na satisfação egoísta – negligenciado tantas oportunidades que, devidamente aproveitadas, no haveriam garantido riquezas imortais?
“Tem-se tornado costume que os que professam religião, desculpem quase toda perniciosa condescendência a que o coração se acha ligado. Pela familiaridade com o pecado, tornam-se cegos à sua enormidade. Muitos que pretendem ser filhos de Deus buscam passar um verniz sobre os pecados que Sua Palavra condena, procurando ajuntar algum desígnio de caridade da igreja a suas ímpias festas de beberronias. Tomam assim emprestadas as vestes do Céu para com elas servir ao diabo. Algumas são iludidas, transviadas e perdidas para a virtude por esse desperdícios ao sabor da moda.” – Mensagens aos Jovens, págs. 396 e 397.


NO CAMINHO DA DISSIPAÇÃO

“Em muitas famílias religiosas a dança e o jogo de cartas são usados como brincadeiras de salão. Alegam que são entretenimentos sossegados, domésticos, que podem ser com segurança usados sob as vistas paternas. Mas cultiva-se assim o gosto por esses excitantes prazeres, e o que era considerado inofensivo em casa não será por muito tempo olhado como perigoso lá fora. Resta ainda ver se há algum bem a colher desses divertimentos. Não dão vigor ao corpo nem repouso à mente. Não implantam na alma um sentimento virtuoso ou santo. Ao contrário, destroem todo o gosto pelos pensamentos sérios e os serviços religiosos. É verdade que existe vasta diferença entre a melhor classe de seletas festinhas e os promíscuos e degradantes ajuntamentos do baixo salão de baile. Todavia, são todos passos na vereda da dissipação.
“O divertimento da dança, segundo é orientado em nossos dias, é uma escola de depravação uma terrível maldição para a sociedade. Pudessem ser reunidos todos quantos, em nossas grandes cidades, são anualmente arruinados por este meio, e que histórias se ouviriam de vidas destroçadas! Quantos, dos que estão agora prontos a defender este costume, se encheriam de angústia e pasmo ante seus frutos! Como podem pais professadamente cristãos consentir em colocar seus filhos no caminho das tentações, assistindo com eles a tais cenas de festividade! Como podem moços e moças trocar sua alma por esse absorvente prazer?” – Mensagens aos Jovens, págs. 397 e 398.


O. E. ALLISON (Trad. de Carlos Trezza)

3 de abr de 2008

Terra Prometida

Qual a tribo de Israel que não teve herança na terra prometida?

Levi
Js 13:33

Tamanho da Arca de Noé

Qual o tamanho da Arca de Noé em metros?

1 Côvado = 0,444m
Comprimento: 300 x 0,444 = 133,20m
Largura: 50 x 0,444 = 22,20m
Altura: 30 x ,0444 = 13,32m

Maior versículo da Bíblia

Ester 8.9

“Então foram chamados os escrivães do rei, naquele mesmo tempo, no terceiro mês (que é o mês de Sivã), aos vinte e três dias; e se escreveu conforme a tudo quanto ordenou Mardoqueu aos judeus, como também aos sátrapas, e aos governadores, e aos líderes das províncias, que se estendem da Índia até Etiópia, cento e vinte e sete províncias, a cada província segundo o seu modo de escrever, e a cada povo conforme a sua língua; como também aos judeus segundo o seu modo de escrever, e conforme a sua língua.”

Primeiro Suicídio

1Sm 31.4 - Saul

Primeiro suícidio mencionado nas Escrituras Sagradas.

O Rei mais Corpulento

Jz 3.17 - Eglom

"E levou aquele presente a Eglom, reis dos moabitas; e era Eglom homem mui gordo".

Quatro criaturas providas de sabedoria

Pv 30.24 a 28 - As formigas, os coelhos, os gafanhotos e a aranha.

"Estas quatro coisas são das mais pequenas da terra, mas sábias, bem providas de sabedoria..."

1 de abr de 2008

O que levou a igreja em Antioquia a fazer Missões?

Em Atos 13 o horizonte de Lucas se alarga, pois o nome de Jesus seria maciçamente testemunhado além da Judéia e Samaria. A partir de Antioquia chegaria aos confins da terra. Os dois diáconos evangelistas prepararam o caminho. Estevão através de seu ensino e martírio, Filipe através de sua evangelização ousada junto aos samaritanos e ao etíope.

Os mesmos efeitos tiveram as duas principais conversões relatadas por Lucas, a de Saulo, que também fora comissionado a ser o apóstolo dos gentios, e a de Cornélio, através do apóstolo Pedro. Evangelistas anônimos também pregaram o evangelho aos “helenistas” em Antioquia. Mas sempre a ação esteve limitada à Palestina e à Síria. Ninguém tinha tido a visão de levar as boas novas às nações além mar, apesar de Chipre ter sido mencionada em Atos 11:19.

Agora, finalmente, vai ser dado esse passo significativo. A população cosmopolita de Antioquia se refletia nos membros de sua igreja e até mesmo em sua liderança, que consistia em cinco profetas e mestres que moravam na cidade. Lucas não explica a diferença entre esses ministérios, nem se todos os cinco exerciam ambos os ministérios ou se os primeiros três eram profetas e os últimos dois mestres. Ele só nos dá os seus nomes. O primeiro era Barnabé, que foi descrito com “um levita, natural de Chipre” (Atos 4:36).

O segundo era Simeão que tinha o sobrenome de Níger, que significa Negro, provavelmente um africano e supostamente ninguém menos que Simão Cireneu, que carregou a cruz para Jesus. O terceiro era Lúcio de Cirene e alguns conjecturam que Lucas se referia a si mesmo o que é muito improvável já que ele preserva seu anonimato em todo o livro. Havia também Manaém, em grego chamado o “syntrophos” de Herodes o tetrarca, isto é, de Herodes Antipas, filho de Herodes o Grande. A palavra pode significar que Manaém foi “criado” com ele de forma geral ou mais especificamente que era seu irmão de leite.

O quinto líder era Saulo. Estes cinco homens simbolizavam a diversidade étnica e cultural de Antioquia e da própria igreja. Foi quando eles estavam “servindo ao Senhor, e jejuando” que o Espírito Santo lhes disse: “separai-me agora a Barnabé e a Saulo para a obra a que os tenho chamado” (At.13:2). Algumas perguntas precisam ser respondidas.

A quem o Espírito Santo revelou a sua vontade? Quem eram “eles”, as pessoas que estavam jejuando e orando?

Parece-me improvável que devamos restringi-los ao pequeno grupo dos cinco líderes, pois isso implicaria em três deles serem instruídos acerca dos outros dois. É mais provável que se referia aos membros da igreja como um todo já que eles e os líderes são mencionados juntos no versículo 1 de Atos 13. Também em Atos 14: 26-27, quando Paulo e Barnabé retornam, prestam conta a toda a igreja por terem sido comissionados por ela. Possivelmente Paulo e Barnabé já possuíam anterior convicção do chamado de Deus e esta verdade foi aqui revelada para toda a igreja.

Qual o conteúdo da revelação do Espírito Santo à Igreja em Antioquia?

Foi algo muito vago e possivelmente nos ensina que devemos nos contentar com as instruções de Deus para o dia de hoje. A instrução do Espírito Santo foi “separai-me agora a Barnabé e a Saulo para a obra a que os tenho chamado”, muito semelhante ao chamado de Abrão: “vai para a terra que te mostrarei”. Na verdade em ambos os casos o chamado era claro mas a terra e o país não.

Precisamos observar também que tanto Abrão como Saulo e Barnabé precisariam, para obedecerem a Deus, darem um passo de fé. Como foi revelado o chamado de Deus?

Não sabemos. O mais provável é que Deus tenha falado à igreja através de um de seus profetas. Mas seu chamado também poderia ter sido interno e não externo, ou seja, através do testemunho do Espírito em seus corações e mentes. Independente de como o receberam, a primeira reação deles foi a de orar e jejuar, em parte, ao que parece, para testar o chamado de Deus e em parte para interceder pelos dois que seriam enviados. Notamos que o jejum não é mencionado isoladamente.

Ele é ligado ao culto e à oração, pois raras vezes, ou nunca, o jejum é um fim em si mesmo. O jejum é uma ação negativa em relação a uma função positiva. Então jejuando e orando, ou seja, prontos para a obediência, “impondo sobre eles as mãos os despediram”.

Isto não era uma ordenação ao ministério muito menos uma nomeação para o apostolado já que Paulo insiste que seu apostolado não era da parte de homens, mas sim uma despedida, comissionando-os para o serviço missionário.

Quem comissionou os missionários?

De acordo com Atos 13:4 Barnabé e Saulo foram enviados pelo Espírito Santo que anteriormente havia instruído a igreja no sentido de separá-los para ele. Mas de acordo com o versículo seguinte foi a igreja que, após a imposição de mãos, os despediu.

É verdade que o último verbo pode ser entendido como “deixou-os ir”, livrando-os de suas responsabilidades de ensino na igreja, pois às vezes Lucas usa o verbo “adulou” no sentido de soltar. Mas ele também o usa no sentido de dispensar. Portanto creio que seria certo dizer que o Espírito os enviou instruindo a igreja a fazê-lo e que a igreja os enviou, por ter recebido instruções do Espírito.

Esse equilíbrio é sadio e evita ambos os extremos. O primeiro é a tendência para o individualismo pelo qual uma pessoa alega direção pessoal e direta do Espírito sem nenhuma referência à igreja. O segundo é a tendência para o institucionalismo, pelo qual todas as decisões são tomadas pela igreja sem nenhuma referência ao Espírito.

Conclusão

Não há indícios para crermos que Saulo e Barnabé eram voluntários para o trabalho missionário. Eles foram enviados pelo Espírito através da igreja. Portanto cabe a toda igreja local, e em especial aos seus líderes, ser sensível ao Espírito Santo, a fim de descobrir a quem ele está concedendo dons ou chamado.

Chamado missionário não é um ato voluntário, é uma obediência à visão do Senhor. Assim precisamos evitar o pecado da omissão ao deixarmos de enviar ao campo aqueles irmãos com clara convicção de que foram chamados por Deus, bem como a precipitação de o fazermos com outros que possuem os dons para tal, mas sem confirmação do Espírito à igreja. O equilíbrio é ouvir o Espírito, obedecê-lo e fazer da igreja local um ponto de partida para os confins da terra.