9 de jul de 2008

Mais do que nunca sabemos que somos amados

Todo ser humano é essencialmente um ser social, necessitamos um do outro para sobreviver. Experiências realizadas com macaquinhas, trocando a mãe deles por uma de pano, fizeram com que todos eles morreram, provando a necessidade do “calor humano”. Vivemos nos últimos tempos, onde Jesus falou: “e, por se multiplicar a iniqüidade, o amor de muitos esfriará” (Mt 24.12). Mais do que nunca sabemos que somos amados por Deus e devido a esse amor incondicional, temos quase que a obrigação de refleti-lo. Mas durante muito tempo reinou o egoísmo e a falsa caridade.

A falsa caridade, a mesma praticada por aqueles que Jesus chamou de Fariseus, seria simbolizada em dar aquilo que você não necessita mais, então ao invés de jogar fora você dá a alguém, ou então dar porque você tem em excesso. Isto está expresso nitidamente nesta parábola: “chamando ele os seus discípulos, disse-lhes: Em verdade vos digo que esta pobre viúva deu mais do que todos os que deitavam ofertas no cofre” (Mc 12.43).

Esta viúva deu além do que poderia dar, deu seu amor, talvez ela tenha dado a si mesma, crendo no Deus que tudo pode: “Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e depois fazei prova de mim, diz o Senhor dos exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu, e não derramar sobre vós tal bênção, que dela vos advenha a maior abastança” (Ml 3.10). Talvez você esteja precisando muito de algo agora, mas olhe ao seu lado, veja quantos desfavorecidos e compare com sua situação. Uma vez eu passei por uma experiência ímpar: estava indo para o meu trabalho, naquela época eu estava passando por uma crise tremenda, para dar de comer, algo decente ao meu filho, muitas vezes almocei apenas pão (sem manteiga) com café (por que a empresa fornecia), para não deixar meu filho em falta.

Questionava então com o Senhor, por que passava por aquela situação, quando por uma “Jesuscidência” passei do ponto onde deveria saltar para ir ao trabalho e tomando o caminho de volta vi uma pedinte e uma criancinha, da idade de meu filho praticamente, dividindo uma quentinha de restos de comida. Incrível como aquela criancinha comia com tanta vontade, senti então um aperto enorme no meu coração por não ter um tostão para comprar uma lata de leite para aquela criança, reconheci a minha hipocrisia, pois poderia ser eu e meu filho naquela situação, pedi perdão a Deus e fui para o trabalho chorando. Desde então, procuro ver o melhor lado das coisas e a solução em momentos de crise ao invés de entrar em desespero.

Uma coisa aprendi que se dando, de si mesma, com amor, com benevolência, sem esperar nada em troca, por Deus e seu semelhante você recebe muito mais do que qualquer pago terreno e o Senhor não lhe deixa faltar nada. Todas as habilidades são importantes para Deus, mesmo que seja um abraço, um beijo, um oi ou um telefonema, creio que isso todos saibam fazer, mas talvez não saibam quanto pode isso fazer a diferença em determinadas horas: isso é dar-se. Numa tarde, por exemplo, recebi uma mensagem linda, com Palavras que realmente precisava ouvir, pois Deus havia tocado no coração de um irmão que falasse comigo aquela mensagem... Foi lindo e muito importante para mim naquele momento. Todos precisam de amor e todos precisam dar e receber amor, principalmente o servo de Deus.

Veja esse exemplo: “Havia em Jope uma discípula por nome Tabita, que traduzido quer dizer Dorcas, a qual estava cheia de boas obras e esmolas que fazia”. Ora, aconteceu naqueles dias que ela, adoecendo, morreu; e, tendo-a lavado, a colocaram no cenáculo. Como Lida era perto de Jope, ouvindo os discípulos que Pedro estava ali, enviou-lhe dois homens, rogando-lhe: Não te demores em vir ter conosco. Pedro levantou-se e foi com eles; quando chegou, levaram-no ao cenáculo; e todas as viúvas o cercaram, chorando e mostrando-lhe as túnicas e vestidos que Dorcas fizera enquanto estava com elas. Mas Pedro tendo feito sair a todos, pôs-se de joelhos e orou; e voltando-se para o corpo, disse: Tabita levanta-te.

Ela abriu os olhos e, vendo a Pedro, sentou-se. Ele, dando-lhe a mão, levantou-a e, chamando os santos e as viúvas, apresentou-lha viva. “Tornou-se isto notório por toda a Jope, e muitos creram no Senhor” (At. 9:36-42). Veja essa passagem, por mais simples que possa ser a habilidade de Dorcas, fez muita falta quando ela “morreu” e as viúvas choraram sua morte e pediram aos discípulos que fizessem com que ela revivesse. Talvez você esteja morta, sentindo-se triste, desamparada, humilhada, mas quero te dizer uma coisa neste momento, dê o melhor de si ao seu próximo, não sei qual a sua habilidade, mas se for apenas fazer carinho, que seja e tu veras que diferença fará em sua vida e como Deus vai lhe recompensar.

“E, sobre tudo isto, revestir-vos do amor, que é o vínculo da perfeição”. (Cl 3.14) Quando você se dá a um irmão, em nome de Deus, sem esperar nada em troca e com amor, o Espírito Santo preenche o seu interior sanando suas necessidades emocionais, intelectuais (pois aprende com o Espírito Santo e a experiência da outra pessoa que compartilha com você). Sem contar que a sua espiritualidade e criatividade começam a ser cada vez mais desenvolvidas para uma possível maior Obra com Deus. “Quem é fiel no pouco, também é fiel no muito; quem é injusto no pouco, também é injusto no muito” (Lc 16.10). Assim, mude a sua vida com as regras de Deus, que é a instrução para perfeita. “Se, pois, alguém se purificar destas coisas, será vaso para honra, santificado e útil ao Senhor, preparado para toda boa obra” (II Tm 2.12).

Que o Espírito Santo de Deus fale melhor aos vossos corações e preencha-os de alegria por poder ser útil ao seu irmão.

Em Cristo,
Adriana Fonte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá Pessoal todos estão autorizados a deixar o seu comentário do conteúdo deste Projeto e assim que puder estarei lendo e se possível respondendo.
Fiquem com Deus!