19 de jan de 2009

Funções do Ministro de Deus. (Pastores)

Vivemos numa época de grandes transformações da igreja. Ela se modernizou, passou a usar recursos da moderna tecnologia nos seus cultos, saiu do anonimato, foi a para a televisão; se tornou mais politizada e...
Pr. José Aldoir Taborda

Introdução:

Vivemos numa época de grandes transformações da igreja. Ela se modernizou, passou a usar recursos da moderna tecnologia nos seus cultos, saiu do anonimato, foi a para a televisão; se tornou mais politizada e mais política em muitos casos. A igreja moderna possui grandes templos, é informatizada, mudou o formato dos cultos, os conjuntos musicais se chamam “bandas”, e os púlpitos são ocupados por doutores e mestres. A igreja atual não está mais nas mãos dos pobres. Hoje ela ocupa um lugar de prestigio na sociedade. Os pastores modernos usam roupas de grife, viajam de avião. Antes a Bíblia era desgastada, surrada, o pastor pregava nas esquinas. Hoje se usa menos a Biblia e mais e mais o projetor de multimídia. A mensagem também mudou. Antes falávamos de Jesus salvador, hoje se fala de prosperidade. Hoje ser fiel a mim mesmo ou à minha igreja é mais importante que ser fiel a Deus. A Teologia da prática ocupou o lugar de teologia bíblica. A busca do crescimento valorizou o método das técnicas de marketing acima do poder de Deus. Antes se falava em conversão e no sangue de Jesus para limpar o pecado, hoje se promove exercícios de regressão psicológica como instrumento para se começar tudo de novo... A igreja deixou de ser missionária no sentido levar o evangelho às nações e ficou priorizado o crescimento da igreja local. O crescimento rápido tirou a visão missionária.

A igreja mudou, a visão de igreja mudou muito, todavia, o que se observa é que o povo está vazio de Deus. As pessoas precisam encontrar na Igreja a resposta para suas perguntas mais íntimas, elas precisam encontrar na igreja aquilo que é capaz de encher seu coração vazio. Nós os pastores somos os responsáveis para que a igreja recupere o seu papel. A igreja é a noiva de Cristo, por quem Ele deu sua própria vida, a fim de que ela fosse pura e sem mácula. E Ele deu para a igreja pastores e mestres, para que eles, na qualidade de ministros de Deus, pudessem conduzir homens e mulheres, como um só corpo, no caminho do céu. Paulo diz: “Assim pois, importa que os homens nos considerem ministros de Cristo e administradores dos mistérios de Deus. Ora, o que se requer dos administradores é que cada um seja achado fiel” (1Co 4.1,2).

Tenho um amigo que é pastor. Certo dia uma irmã, que era membro de sua igreja, chamou-o para orar por uma pessoa enferma no hospital. Quando o pastor chegou, a senhora olhou para ele e perguntou-lhe: “Pastor, o Senhor é um homem de Deus?” Ela sabia que ele era um pastor, porém sua pergunta é muito profunda. As pessoas não estão muito preocupadas em saber se você é um pastor, um mestre de teologia, um doutor. Por essa razão, este versículo é uma realidade muito importante para nós hoje. É importante que os homens nos considerem ministros de Cristo. Nosso alvo é que cada um seja conhecido como um homem de Deus. A Bíblia fala do homem de Deus e define pelo menos três funções importantes que o homem de Deus deve desempenhar na congregação, as quais, ainda que sejam distintas entre si, possuem a mesma importância em sua relação com a igreja.

1. A primeira função de um ministro (homem de Deus) é a FUNÇÃO PROFÉTICA.

A função do profeta era tanto falar em NOME de Deus, como falar a PALAVRA de Deus para o povo (2Tm 3.16-17).
A profecia do A. Testamento recebeu sua forma normativa na vida e na pessoa de Moisés, que passou a constituir padrão de comparação para todos os profetas do futuro (Dt 18.15-19). Um profeta, um homem de Deus, possuía as seguintes características:
A. Ele recebeu uma chamada específica e pessoal da parte de Deus (Ex 3.1-4.17; Is. 6; Jr 1.4-19; Ez. Caps. 1-3; Am 7.15,15)
B. O objetivo e o efeito primário da chamada era uma introdução à presença de Deus. (1Rs 22.19; Jr. 23:22; Am 3.7;) O profeta aparecia perante os homens na qualidade de um homem que se apresentara perante Deus (1Rs. 17.1; 18.15); isto é, ele sai da presença de Deus para apresentar-se ao homem com um recado divino, não com uma palavra sua.
C. Esteve preocupado com o bem estar de seu povo (Ex 2.11ss; Dt 24.19-22; Lv 19.9)
D. A mensagem profética era uma combinação de proclamação e predição.
E. O profeta era também chamado de Homem de Deus (Dt 33.1; 1Sm 2.27; 9.6; 1Rs 13.1; 2Rs 4.9).
Um pregador, quando abre a Bíblia, fala a palavra do Senhor, por essa razão é também um profeta de Deus. O ministro de Deus deve abrir a boca e dizer: “Assim diz o Senhor...” Muitas vezes os profetas deviam ser ousados e inflexíveis com o pecado e declarar aos homens a vontade de Deus assim como também declarar-lhes seus pecados. Seu ministério principal no Velho Testamento era denunciar a impiedade (1Sm 15.10,16-19; 2Sm 12.7-12 e reprovar aos ímpios (2Rs 17.13; 2Cr 24.19; Jr 25.4,5). Isso nem sempre é agradável e muitos profetas foram perseguidos por essa razão.
O homem de Deus, de uma maneira geral deve buscar entendimento da mensagem profética. Para o profeta Ezequiel Deus falou da seguinte maneira: “Filho do homem, eu te envio aos filhos de Israel... e tu lhes dirás: assim diz o Senhor (Ez 2.3,4; 2.7), e lhes dirás as minhas palavras, e eles, quer ouçam ou deixem de ouvir, porque são casa rebelde, hão de saber que esteve no meio deles um profeta. Mas tu lhes dirás as MINHAS PALAVRAS.
Havia uma dupla consciência nos livros dos profetas: por um lado, aquelas eram as palavras que Deus dera ao profeta. . Deus escolhera aquele homem para ser seu porta voz; as palavras são palavras de Deus. Por outro lado, aquelas são as palavras de um determinado individuo,proferidas em determinada ocasião, sob certas circunstancias. Os profetas estavam seguros de que as palavras de sua boca eram a palavra de Deus e a forma de pronuncia-las só pode acontecer com homens que estiveram presentes nos conselhos de Deus e ali receberam o que deviam dizer sobre a terra. A experiência básica do profeta era: veio a mim a palavra do Senhor, dizendo...
Assim diz o Senhor...
Está claro que Deus é o autor das palavras que ele diz. Profetizar é declarar aos homens o que Deus pensa. Assim, na sua função profética, o ministro de Cristo é aquele que deve declarar aos homens nada mais nada menos que a Palavra de Deus.

2. A Segunda Função de um ministro de Deus é a sua FUNÇÃO SACERDOTAL (1Pe 2.9)

A diferença do profeta e do sacerdote consistia no seguinte: o primeiro era o representante de Deus perante o povo ao passo que o segundo era o representante do povo perante Deus.
As verdadeiras características do sacerdote consistiam no seguinte: "(a) o sacerdote é tomado dentre os homens para ser seu representante; (b) é constituído por Deus, cf. Hb 5.4; (c) age no interesse dos homens nas coisas pertencentes a Deus, isto é, nas coisas religiosas; (d) sua obra especial consiste em oferecer dádivas e sacrifícios pelos pecados". O sacerdote também fazia a intercessão pelo povo (Hb 7.25) e os abençoava em nome de Deus (Lv 9.22). É interessante notar, ainda, que os sacerdotes só entravam no santuário para fazerem intercessão pelos pecadores, depois do sacrifício feito em seu favor; visto que só nessas condições Deus lhes poderia ser propício. Nisso foi também tipificado que a obra intercessora de Cristo tem por base o seu sacrifício expiatório, como ficou revelado no fato de que a cruz precedeu a sua ascensão ao céu.
A escritura mais uma vez é clara com respeito a este ofício de Cristo. O Velho Testamento prediz e prefigura o sacerdócio do Redentor vindouro (Sl 110.4 e Zc 6.13). Embora o título de sacerdote aplicado a Jesus apareça no Novo Testamento unicamente na epístola aos Hebreus (3.1; 4.14; 5.5; 6.20; 7.26; 8.1), muitos outros livros do NT se referem à obra sacerdotal de Cristo. Cristo exerce o ofício de sacerdote, oferecendo-se a si mesmo uma vez em sacrifício, sem mácula a Deus, para ser a propiciação pelos pecados do seu povo, e fazer contínua intercessão por esse mesmo povo.
Qual é a função geral do sacerdote? O que deve ele fazer? São três as tarefas principais do sacerdote.
Primeiramente ele deve tomar conta do tabernáculo. Isto significa que uma de suas tarefas é acender e conservar acesas as lâmpadas do santuário (Ex 27.20,21; Lv 24.3,4). Outra de suas tarefas é cuidar do altar e oferecer os sacrifícios pelo pecado (Nm. 18.1,5,7; 2Cr 35.11; Hb 5.1, e, por último, manter sempre aceso o fogo do altar (Lv. 6.12,13). Embora estas tarefas fossem práticas na vida do sacerdote do VT, elas servem como analogia das funções pastorais hoje.
A segunda função do sacerdote era abençoar o povo (Nm 6.23,27). Abençoar o povo significa ministrar sobre eles, orar com eles e por eles.
A terceira função do sacerdote era fazer intercessão pelos pecados (Nm 16.43,48; Hb 10.11). O sacerdote oferecia os sacrifícios pelos pecados do povo e orava em particular com Deus pedido o perdão para a congregação. Essa função sacerdotal do homem de Deus é muito importante para as pessoas em qualquer igreja.


3. A Terceira Função de um homem de Deus é a FUNÇÃO PASTORAL

A função do pastor é apascentar. Jesus disse para Pedro: “apascenta minhas ovelhas” e Pedro deixou para nós a máxima: “Apascentai o rebanho de Deus, não por constrangimento, mas como guias do rebanho (1Pe 5.1), e Paulo disse aos presbíteros “Atendei por vós e por todo o rebanho sobre o qual o Espírito Santo vos constituiu bispos, para pastoreardes a Igreja de Deus, a qual Ele comprou com Seu próprio sangue (At 20.28). Quando João escreveu a segunda epístola, dirigida a Gaio, ele disse uma coisa muito importante, a qual refletia o coração pastoral do apóstolo: “Não tenho maior gozo do que este, de ouvir que meus filhos andam na verdade”. Muitas vezes o pastor não é reconhecido por alguns, porém o seu gozo ninguém pode tirar e quando olhamos para trás podemos ver as vidas daqueles a quem ninguém há pregado o evangelho. Podemos ver melhor a função pastor usando a analogia do salmo 23:

a. Nada me faltará – o pastor dá suprimento às necessidades básicas das ovelhas;
b. Guia-me – dar direção, rumo
c. Refrigera a minha alma – provê descanso para o cansado – lazer
d. Dá segurança – o mundo está inseguro, desorientado. Ovelhas sem pastor
e. Estás comigo – companheirismo. Pastoreio não é detrás do púlpito. É caminhar junto, é ser disponível
f. Exortar – a vara e o cajado significam tanto a exortação como a orientação.
g. Preparas uma mesa na presença dos adversários - Apoio na hora da angustia
h. Unges a cabeça – refere-se tanto ao alimento espiritual como à cura das feridas


CONCLUSÃO: Existem muitos falsos mestres hoje, que podem vir somente trazendo coisas boas, apresentando um falso amor com o objetivo de enganar. Hoje necessitamos ter muito cuidado. Por isso o texto de Hebreus diz, em 13.7 – “Recordai-vos de vossos pastores que vos falaram a Palavra de Deus, considerai qual foi o resultado de sua conduta e imitai a fé que tiveram. Obedecei a vossos pastores e sujeitai-vos a eles pois velam pelas vossas almas, como quem tem de dar contas a Deus, para que o façam com alegria, não queixando-se, porque isto nos é proveitoso”. E Paulo arremata em Ef 6.19: Orai também por mim, para que me seja dada, no abrir da minha boca, a palavra, para com ousadia fazer conhecido o mistério do evangelho. Mais do que nunca estas funções ministeriais precisam ser vistas e praticadas na igreja hoje.

Autor: Pr. José Aldoir Taborda
Fonte: Convenção das Igrejas Batistas Independentes.

Ps: Eu concordo com tudo isso e acrescento que um bom pastor precisa em primeiro lugar ter dom de pastor e em segundo lugar um chamado genuino de Deus para essa tarefa, pois o verdadeiro pastor sofre quando uma ovelha esta sofrendo e se alegra quando uma ovelha esta se alegrando. O verdadeiro pastor tem sempre uma palavra de conforto em momentos delicados desta vida e esta sempre pronto a ajudar nesses momentos, e não tem somente palavras agressivas ou palavras de correção. O verdadeiro pastor nunca leva nada pelo lado pessoal, ainda que ele tenha ouvido coisas que não tenha gostado e ou ainda que esteja passando por dificuldades ele nunca desconta os seus problemas em suas ovelhas e sim as trata com se nada estivesse acontecendo, pois é fácil usar o púlpito para falar as coisas que a sua ovelha te disse de uma forma agressiva né "pastores".
Vemos hoje em dia pastores que nada disso faz e sim que se preocupam somente em ver a igreja cheia e outros nem isso se preocupa, mas se preocupam em fazer tudo do jeito dele, mesmo que Deus não esteja se agradando do que esteja fazendo. Vemos também nos dias de hoje pastores que querem somente separar pessoas para cargos para agradar ou para ganhar a amizade dela, mesmo que não tenha sido a vontade de Deus e dessa maneira acontece que a pessoa se machuca e a igreja acaba perecendo ou ficando doente, porque como uma pessoa que esta doente pode oferecer a cura para alguém?
Bom essa é a minha opinião e digo mais que o verdadeiro pastor quando passou por este planeta em forma de homem, até lavar o pé dos seus discípulos o fez e como Ele mesmo disse que veio para servir e ser servido. Hoje em dia "pastores" só querem ser servidos e servir, isso não querem não...
Sei que não vou agradar muita gente com a minha opinião, mas se ficar bravo comigo ore á Deus e peça para que ele me abençoe se eu estiver errado com a minha opinião, pois acredito que Deus não me faz se enganar, pois Ele não é homem para que minta e nem filho do homem para que se arrependa, pois tendo Ele dito não o fará?

Ricardo Fabris

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá Pessoal todos estão autorizados a deixar o seu comentário do conteúdo deste Projeto e assim que puder estarei lendo e se possível respondendo.
Fiquem com Deus!